sexta-feira, 1 de maio de 2009

Pai Perfeito - Achei!!!

Deveria postar a continuação da minha série de histórias e tudo o mais, mas... resolvi postar um texto que fiz em fevereiro deste ano. Ele, como muitos outros, acabou surgindo de uma conversa minha com o João, claro. Ele vive me inspirando... e nossas conversas são tão boas, que geralmente dão margem pra posts, que geralmente ficam muito bons. Ah, quanto aos capítulos da minha série, vou voltar a postar na semana que vem... e devo postar tooodos os dias, pra tentar compensar (tentativa mesmo) minha falta aqui.


Sempre me questionei sobre o fato de se, no futuro, seria uma boa mãe. Hoje sei que só saberei a resposta se um dia for mesmo mãe. Mas rolou um test drive com a minha sobrinha e sim, acho que posso vir a ser boa. Mas gostaria mesmo de ser uma boa mãe com um bom pai, daqueles que até poderiam me deixar de lado por momentos em que babasse pelo nosso filho. Ele podia dizer que eu estava com cara de cansada, mas diria que valeu a pena, pois nosso filho dormia com um sorriso feliz. Ao longo dessa minha curta vida, encontrei algumas pessoas que pensei que seriam pais ótimos. Não, não estava procurando um pai para o meu filho com essa pouca idade, mas não me era trabalhoso imaginar como aqueles meninos que me cercavam seriam como tais. Não eram necessariamente meus namorados... eram amigos bem próximos e até colegas. Por incrível que possa parecer - ou não - meus namorados não seriam pais interessantes. E hoje, acabei encontrando, num excelente amigo, o pai perfeito.
Ele dispensa apresentações, é uma pessoa que eu adoro e somos muitos amigos. Acho que antes de qualquer coisa, a amizade é importante e tudo o que vem com ela: a cumplicidade e a unicidade de determinados atos nos fazem amigos de verdade. Era uma conversa que começou totalmente louca, falando sobre o futuro e casamentos. Nos questionamos sobre os noivos perfeitos e as festas perfeitas. Já nos imaginando com uma pessoa ao nosso
lado, conversamos sobre a questão de sermos pais. Eu, expondo minhas dúvidas em relação a maternidade e minha desconfiança sobre os homens que me cercavam e ele, expondo explicitamente o desejo de ser pai.
Aquele cara sempre brincalhão, que não me parecia mesmo crescido, tinha medo de ser pai. Não pelo fato de não querer, mas pelo fato de ter medo de não saber cuidar daquele Ser tão frágil. Se mostrou preocupado com a educação do futuro filho, bem como a criação dele, afinal, de acordo com nossa conversa, chegamos a conclusão de que "a criança é o reflexo da criação".Se mostrou um pai no melhor estilo babão e ficou preocupado que o papo viesse a público. Sinto muito, João... mas um pai perfeito desses não deve ficar incógnito.
E a conversa foi acontecendo e eu descobrindo um lado novo. Não me canso de me surpreender com ele e essa foi uma das vezes em que fui (bem) surpreendida. Achei mesmo que o João só tinha dois lados - lados esses que já me satisfazem -, mas fico feliz em saber que estava errada. A cada dia que passa, descubro uma pessoa nova, uma pessoa que me acrescenta coisas boas, uma pessoa que vale a pena observar.
Não posso ter certeza, mas... acho que meus olhos brilharam quando chegamos a um ponto da conversa onde ele disse que a mãe já tem uma ligação muito forte com o filho na barriga, uma ligação que dificilmente se rompe, enquanto o pai tem mesmo é de conquistar a criança, coisa que ele faria de modo diferente, a cada dia, incansável, sempre se mostrando um pai presente, amigo. Daria lições, ensinaria os caminhos, agradaria quando fosse necessário e daria broncas do mesmo modo. Eu vi, naquele momento, o cara que faria aquilo numa boa, por ser a natureza dele, desde que estivesse com a pessoa certa ao lado. Fiquei super sensibilizada, afinal, é o que uma pessoa como eu, que busca mesmo a real felicidade, desejaria para o pai dos meus futuros filhos. Não, não estou pedindo implicitamente que ele seja o tal homem, mas sim, peço aos homens que lerem, que sejam como ele. Que tenham essa idéia, que pensem nisso, que se descubram, seja para definitivamente decidir ser pai ou não. Que optem pelo melhor lado de si, que optem pela felicidade, que optem pelo que o coração falar mais alto.
Ainda ficamos fofocando por um bom tempo, e no fim das contas, concordamos que ele é uma pessoa rara. Não vejo meninos dizendo esse tipo de coisas por aí e nunca entendo o motivo pelo qual esse meu amigo está sozinho.
As meninas de hoje são esquisitas... elas não querem um relacionamento assim, elas buscam diversão, estão com um pensamento masculino. Poucas são as meninas que eu encontro que tem o sonho de ter um cara para a vida toda. Posso dizer seguramente que, quando se tratando das meninas que conheço, elas querem um cara para usar, e "meu modelo de pai perfeito" seria o cara ideal. O que espero que elas saibam, é que o jogo inverte, que quem pisa um dia, pode ser pisado no outro... e a vida é assim, o mundo dá voltas.
Acho que devemos ter tranquilidade. Vamos todos encontrar a pessoa certa, com objetivos como o nosso, com a mesma vontade de ser feliz que a nossa. Seremos felizes, temos medo, arriscamos e seguimos em frente, sempre com o objetivo da felicidade no fim do túnel.

Beijos

2 comentários:

Igor disse...

É sempre bom esse lance de pensar à frente; imaginar-se como pai/mãe, com responsabilidades, etc...

e é sempre bom pensar mesmo em quem te completa nesse sentido, em quem tem um pensamento "de criação" parecido com os seus...

Belo post, Debora. XD

Bjos!

Simone Ferraz disse...

Nooossaaa!!! Adorei o post!!
E adoraria encontrar alguém assim como o seu amigo!!

Beijos,
Simone.