terça-feira, 24 de agosto de 2010

Conflitos

A verdade é implacável e o dia-a-dia prova: não estou feliz.
Levantar da cama tem sido uma batalha por quase todos os dias da semana e diariamente me injeto ânimo para seguir em frente. Não está sendo fácil, não está sendo bacana. Muitas pessoas me dizem para seguir em frente e gentilmente agradeço a força, mas... não é tão fácil nem tão simples. Metade (ou um pouco mais) da minha vida está ótima. A relação com a minha família está perfeita, nossos planos para o futuro também estão, minhas amizades estão sempre florescendo e minha vida amorosa não precisa de comentários, mas minha vida profissional anda constantemente em colapso. Quando eu penso que finalmente me encontrei, surge uma semente em mim e diz que estou errada.
Sempre fico confusa com o caminho que estou seguindo, sempre busco melhorar profissionalmente, mas é tão difícil escolher qual coisa fazer, qual caminho seguir, quando se está infeliz naquele ponto. Meu curso na faculdade anda aos trancos e barrancos. Não estou conseguindo seguir em frente, não sei se é isso o que quero e a essa altura do campeonato, me acho velha para tentar outra coisa. Ainda bem que tenho amigos maravilhosos que me mostram que, em relação a "estar velha", estou é ficando louca, afinal, nunca se é velho para perseguir - e conquistar - a felicidade. Acabo que, quando converso com eles, esqueço um pouco disso e sigo em frente, simplesmente afim de dar vida aos meus sonhos, a realizar meus desejos. Acabo passando por momentos de paz. Mas não me acomodo. Claro que fico pensando nos meus caminhos profissionais (na faculdade e fora dele) e fico num conflito interno enorme, mas converso comigo mesma e por diversas vezes, me entendo, assim como, por diversas vezes, saio no tapa. Mas está perto de essa saga da faculdade terminar. Acho que encontrei exatamente o que quero e vou lutar por isso...
Mas encerrado um capítulo, começa outro. Meu trabalho. É o que eu quero? Hum... não. Quero ser feliz, quero aprender mais, quero mais... e não estou conseguindo. As pessoas continuam igualmente ótimas e surgiram umas pessoas que só vieram para acrescentar, mas mesmo assim, não me encontrei. Estou tentando, tendo mais uma oportunidade, mas não estou sabendo aproveitá-la como um todo. Por parte por minha tristeza, por minha desmotivação e em parte, pelas minhas realizações no trabalho. Não acho que faço o que deveria, acho que ajudo muito a resolver nossas coisas, mas acho que existe mais o que fazer. Espero. Acho que no momento, é o que tenho que fazer. Mas jamais acomodar! Jamais! Sempre crescer, sempre em frente, sempre buscando o mais importante: realização e felicidade.