quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Cenas do Cotidiano

Ando muito por aí, quem me conhece sabe. Sou uma andarilha - apesar de já ter sido bem mais - e observo muito as coisas que acontecem ao meu redor. Muitas delas dariam posts muito interessantes e outros penderiam pro lado do reflexivo. Passei por um caso um dia em Higienópolis - acho - num ponto de ônibus na Linha Amarela, numa manhã onde eu tinha que ir pra Barra da Tijuca (uma daquelas manhãs quentes, onde você implora pro ônibus vir correndo e de preferência, com ar condicionado), onde o ponto de ônibus estava abarrotado de gente.

No dia em questão, estava especialmente de blusa branca - o que é raríssimo, já que eu não curto muito a cor branca - e vocês podem perguntar o que raios a blusa branca tem a ver com a história, mas já vai fazer sentido; de repente olho para o lado e vejo um burburinho no ponto de ônibus, com as pessoas olhando somente para um canto. Não me contive de curiosidade e olhei: era um menino com os cabelos encaracolados, loiro, sujo DEMAIS. Não estava fazendo nada de mais - achei eu - até que ele se aproximou de uma moça que estava ao meu lado e pediu alguma coisa. Mas aí veio a cena que me chocou: ELE A ABRAÇOU!!! WTF????? e depois estendeu a mão. Não saquei. Até que ele veio até mim.

Lépido e fagueiro, ele veio até mim - enquanto eu rezava para que meu ônibus com ar condicionado viesse depressa e vazio, para que eu pudesse sentar - e me perguntou se poderia me dar um abraço. Minha cabeça ficou com trocentos pontos de interrogação, mas foi coisa rápida e logo saiu um sonoro NÃO!!! Daqueles que se houve à distância e em bom tom. Todos me olharam. E eu ainda completei, prestes a ser alvejada por pedras, dizendo que eu estava de blusa branca, coisa rara, não ia rolar. A moça ao meu lado, aquela que recebeu o abraço, soltou uma gargalhada. E o menino fez uma cara triste, daquelas que comovem alguns - somente alguns - e disse, na maior: mas eu só queria um real. Ai eu parei, pensei rápido e perguntei: você está trocando abraços por dinheiro? E ele disse que sim, com a maior naturalidade. As pessoas que antes estavam querendo me atirar pedras, chegaram mais perto para entender o meu embate com o menino aparentemente carinhoso e gentil, e quando finalmente perceberam do que se tratava, todos, sem exceção, foram contra ele, que ficou tenso, certamente pensou que ia dar merda e saiu correndo.

Uma senhorinha, daquelas bem arrumadinhas, ficou perto de mim e daquela moça que recebeu o abraço e logo quis saber do que se tratava. Explicamos para ela, que o menino chegava, perguntava se poderia te dar um abraço e caso você assentisse, ele dava o abraço mas depois esticava a mão pedindo dinheiro. Alguns davam o dinheiro com medo, outros davam por pena e outros não davam de modo algum (e outros recusavam terminantemente o abraço, tipo eu, cortando logo o mal pela raiz). E a senhorinha manda, sem pestanejar: GENTE, FALTA AMOR PARA AS PESSOAS? QUE TIPO DE GENTE PAGA PRA RECEBER UM ABRAÇO???  Foi um tapa na cara das pessoas que estavam no ponto. Algumas balançaram a cabeça, como se pedissem desculpas, enquanto outros concordavam silenciosamente. 

Meu ônibus finalmente estava vindo, demorou 30 minutos para vir, mas valeu a pena. Dei um abraço grátis na senhorinha - e não me importei se estava de branco ou se ela estava fedida, e não estava - e entrei no ônibus. Ela sorriu. Provavelmente nunca mais a encontrarei, o que não posso dizer do menino sujinho do cabelo dourado, que deve estar pedindo dinheiro ainda, mas que deve ter abandonado a tática do abraço e facilitado as coisas ao simplesmente pedir dinheiro. 

Mas a pergunta fica no ar: TÁ FALTANDO AMOR?

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Maldita Doença!!!

Minha vida deu uma mudada de leve nessas últimas duas semanas... No dia 06/10 acordei com uma dor abdominal bastante incômoda do lado direito e que pra mim, eram gases, como sempre são. Tomei meu remédio de sempre, esperei a dor passar e nada. Comecei a ficar preocupada e fui pesquisar na internet - não que seja algo válido, mas é aquilo: ou você se desespera ou relaxa, dependendo da doença que encontrar - e descobri algumas coisas tensas. Logo de cara, o Google resolveu dizer que eu tinha cálculo na vesícula. Sacanagem né? Veio logo com essa pedrada! Mas ai eu aceitei a possibilidade, já vi várias pessoas passando pelo problema e sei lá né... poderia ser, e eu resolvi começar a cortar a gordura já pensando nas crises que poderia ter. Mas a dor não passou. Tomei muitos remédios, fui pro trabalho com dor mesmo, levei bronca da chefe (com razão) e eu vi que a parada tinha um pitada de seriedade. Fiz meus contatos, minha madrinha falou com a médica dela e eu logo marquei uma consulta pro dia seguinte, que foi na terça.

E a dor incomodava pra tudo! Até quando o ônibus passava num buraco na rua eu via estrelas. Nunca tive nada parecido. Fui ao trabalho mais cedo, depois fui pra médica, que após uma boa conversa e uma análise no consultório, ficou com duas suspeitas: cálculo na vesícula ou início de uma inflamação no apêndice. Fiquei pasma, atônita. Agora tinha a constatação de que era realmente algo sério. No mesmo dia, pensei em realizar os exames, mas era tarde, ficaria péssimo para voltar pra casa, então resolvi fazer tudo no dia seguinte bem cedo. Cedo mesmo.

Mal amanheceu a quarta-feira e eu fui pro Hospital São Lucas em Copacabana. Lugar de gente... DOENTE!!! Entrei com uma doença e saí com duas, pois ao longo do dia, comecei com dor de garganta e tal (que virou uma puta gripe)... Como ninguém me prometeu um mundo justo, eles não aceitavam a modalidade do meu plano e voltei pra casa. Após uma maratona no telefone, cerca de 2h pra falar com a Unimed-Rio, consegui agendamento pro mesmo dia pra realizar uma Tomografia Computadorizada. Fui ao trabalho, parei no meio do expediente e fui fazer o exame na Tijuca. O exame mesmo demora entre 15 e 25 minutos para ser realizado, mas qual não foi minha surpresa quando eu passei 4 horas dentro da clínica, esperando a realização do exame!! Fui na Pro Echo e não recomendo pra ninguém, afinal, marcar hora não significa absolutamente nada - no meu caso, meu exame estava marcado para 16:30h, cheguei 16h e só fui atendida 19:40h. Foi delicioso. Fiquei em jejum (de água e alimentos) desde 8h até a realização do exame. Imagine meu humor. Finalmente realizei o tal exame, minha veia da mão estourou (pra dar mais emoção) e tive que ficar lá até que o inchaço da minha mão diminuísse. O mais bizarro: três médicos vieram conversar comigo sobre o meu diagnóstico e eu achei que estava morrendo; e teve mais: fizeram a impressão do meu exame na hora pra eu levar "correndo" pro meu médico. Fiquei tensa DEMAIS, mas não me desesperei, afinal, se fosse uma coisa muito absurda, de intervenção cirúrgica, eles teriam me contado. Fui correndo pro shopping próximo comer e beber algo. Quanto ao meu retorno ao trabalho, não foi possível, tendo em vista o horário em que eu saí da clínica.

Acordei na quinta-feira com dores, mas com meu diagnóstico na mão! E já sabendo o que eu tinha: APENDAGITE EPIPLOICA. Nome esquisito, doença esquisita. Perguntei pra um amigo médico o que era e com toda a paciência do mundo ele me explicou que, em resumo, é uma inflamação na parede externa no intestino. Como fica no abdômen, toda vez que eu faço movimentos que envolvem a barriga/respiração,  dói. Uma merda.. Mas comecei uma batalha nova: tentativa de contato com a médica da minha madrinha. Ela é super difícil de contactar, pois trabalha muito e em muitos lugares. Enfim, médico bom é médico requisitado e sem tempo. Mas eu não podia ficar gemendo de dor a cada espirro, então, liguei pra minha médica número 02 (mas não menos importante) e marquei uma consulta. Mesmo explicando que era urgente, já que eu queria começar a tomar os remédios, não consegui encaixe e minha consulta ficou pra segunda-feira. Até lá, fiquei a base de compressas quentes no local.

Sim, passei o fim de semana na maior calma, sem muito esforço e deu tudo certo. Finalmente a segunda-feira chegara e com ela, minha consulta. Já no consultório, minha médica me deu algumas drogas e receitou outras, além da maldita compressa quente. Ela ainda me deu uma bronca básica, pois eu preciso de uma dieta rica em fibras e muita água, mas é aquilo né... disse a ela que não é muito a minha praia. Mas vai ter de ser... enfim, me foram recomendadas mudanças na alimentação - que já estão sendo implantadas - e o acompanhamento de um gastro, além do dela, por um mês ou até quando ele quiser. O médico me foi indicado por ela e eu achei muito bom. Já providenciei uma consulta.

Hoje, meus remédios já acabaram e devo dizer: não sinto absolutamente mais nada. Me sinto bem mesmo, pronta pra retornar às minhas atividades esportivas. Devo ir ao médico somente pra dar aquela revisada, pra pedir a liberação mesmo... mas eu me sinto bem pra fazer as coisas. Antes eu realmente não me sentia bem... agora é cair matando nos exercícios, na água e na louca alimentação com fibras. Tô na luta, pq vem pitangas rolando por ladeira abaixo por ai (to mega arrasada)...

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

[Gordinha's Facts] Cumprindo Promessas

Em vários post anteriores, eu citei planos que eu sempre fiz e nunca tirei do papel... ou projetos que iniciei e nunca terminei, nunca levei pra frente. Me lembro que, quando contei para algumas pessoas que estava me mudando, muitas me disseram que minha vida mudaria significativamente para melhor, que minha vida finalmente andaria "pra frente". Concordo.

Ah, antes... mesmo sem me matar nos exercícios e tal, venho feliz em dizer que não engordei uma grama pro casamento da minha amiga (lembra do casamento em que fui madrinha???), e o vestido ficou intacto em questões de ajustes!!! - não levei muito a sério minha alimentação, mas acho que já melhorei bastante nisso (se compararmos com o que era antes)... Não consegui zerar os carboidratos durante a semana... meu corpo sente mesmo a falta deles. Claro que não mergulho loucamente neles, mas cortar definitivamente, não rola! Meu "Diário da Boa Forma" não deu muito certo também... coloquei ele na estante e lá ele ficou, aguardando atualizações e acumulando muita poeira. Eu disse não ser tão disciplinada pra essas coisas.

Mas estou aqui pra falar sobre coisas que experimentei, sobre projetos que resolvi tirar do papel e um deles foi a natação! Caramba!!! Estou nadando! Entrei pra natação no meio de setembro, frequento quase todos os dias e tem sido ótimo... se encaixou perfeitamente no meu horário (apertadíssimo) da faculdade e trabalho. Minha professora é uma fofa e eu realmente estou aprendendo a nadar, que era mesmo o meu objetivo. Faço 3x na semana e se pudesse, faria mais. Estou realmente curtindo. Pra te falar que a parada está séria, até em dia de chuva eu fui, não perdi um treino (exceto durante minha doença, que eu conto em outro post). To curtindo! Natação: OK!

Mais uma coisa que não morreu no projeto, foi o Pole Dance. Depois de muito pesquisar, fazer as contas e conversar por aí, entrei na Up Dance Studio - Unidade Centro no meio de setembro também e tenho adorado as aulas. Consegui um horário na parte da manhã, que calhou com o fato de eu não ter aula alguma, então... me joguei. Minha turma é pequena, do jeito que eu queria que fosse (nada de muita exposição da minha figura!!! hahahaha) e minha professora não poderia ter nome melhor: o meu. Hahahahaha.
Super exigente, faz umas aulas tensas, pra gente sair cansada mesmo, com a memória dos movimentos "marcados no corpo", daquele tipo em que as dores serão sentidas no dia seguinte, por mais que se tenha alongado. Eu estou simplesmente amando. Tanto, que já pesquisei minha barra, já medi meu quarto, já cotei o preço do tatame... empolgadíssima. A única coisa que ainda não entrei na vibe de pesquisar foi o espelho. Não me sinto interessante quando me olho no espelho, mesmo que seja pra perceber/corrigir os movimentos ou qualquer outra coisa, mas sei que é importante, então vou trabalhar isso. Estou completamente envolvida na atividade, bem feliz mesmo. E a turma unida ajuda muito. Pole Dance: OK!

Mas não parei por aí, com relação as atividades físicas. Tenho feito, mesmo que pouquíssimo, JUMP em casa. Isso mesmo: JUMP. Aquele exercício que precisa da cama elástica individual... ah sim, eu comprei uma pra mim. Peguei alguns vídeos com as meninas do trabalho e curti a vibe. Faço na sala, quando eu tenho tempo mesmo e quando estou com saco pra chegar em casa, trocar de roupa e me movimentar (quando não tenho que estudar). Faço na sala tranquila, despreocupada. Eu gosto, mas é aquilo: queria ter mais tempo. Além do jump, ensaiei iniciar um projeto de exercícios mega master famoso nos EUA e que se popularizou por aqui, o Insanity Workout. Logo quando acabei de baixar todos os vídeos, o mesmo idealizador do programa lançou mais um, o Phocus T25, um programa de rápida execução diária, próprio pra quem não tem tempo pra nada. Instantaneamente abandonei o Insanity, que durava em média 45 min/dia para ensaiar o T25, com 25 min/dia. Comecei fazendo na primeira semana, mas desanimei quando meu namorado voltou de viagem e não peguei mais. To querendo voltar, manter o foco, ver se rolam mesmo os resultados.

E por fim... meu amado Muay Thai está em segundo plano. Eu adoro, mas eu tinha que experimentar outras coisas e não tive como priorizar a luta. Mas agora, com minhas atividades definidas, estou ensaiando minha volta ao tatame. Com cautela, afinal, tem toda uma questão de tempo, preço... e eu quero começar a fazer e não parar logo, quero fazer e continuar, assim como eu planejei o Pole e a Natação. Quero mesmo dar continuidade aos projetos. Mas acima de tudo, quero emagrecer!!! Acabei de constatar uma coisa péssima, mas vou deixar pra chorar as pitangas numa próxima oportunidade.

Mas poxa... eu cumpri algumas coisas... e posso dizer que estou cumprindo bem! Agora é manter o foco, a força e a fé!

sábado, 19 de outubro de 2013

Fusão Feita - Agora é dois em um

A transição foi feita e nem foi tããããão difícil assim...
Coloquei uma tag sobre o que tinha no outro post, chamada de "Gordinha's Facts", no título e no final do post, pra ficar bem fácil. Basicamente, o que eu falar sobre dietas e tentativas - frustradas ou não - de emagrecimento eu colocarei nesta tag.

A parte mais difícil mesmo foi encerrar definitivamente o outro blog, mas não hesitei e fiz. Agora é me concentrar neste, sempre. E tentar escrever mais né... Não me conformo comigo mesma, tendo "n" dispositivos pra conectar a internet e não posto uma linha sequer. Acabei de comentar com uma amiga que me falta vergonha na cara. EU SEI QUE FALTA.

Então, a fusão foi feita com sucesso, eu acho que ficou bacana, limpa... e agora só depende de mim! Vou tentar ao menos um post por semana (longe do que eu realmente queria) e olha que tem acontecido tanta coisa na minha vida, que dá pra escrever todos os dias, sem exageros. Se eu fizesse um diário certinho, teria texto todos os dias.

Mas amanhã essa saga começa... vou tirar sempre uma horinha do meu dia pra escrever...
Vamos nessa?

Beijos

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Decidido

Enfim, tomei a decisão. Resolvi terminar com o meu blog mais novo - o que me pareceu mais justo e muito mais sensato. Então, não teremos mais posts no Gordinha´s Facts . Mas eu não podia encerrar e perder os posts e tudo o que eu fiz nesse tempo (já me basta perder os comentários de amigos queridos): resolvi colocar os posts no blog mais antigo, respeitando a data e colocando umas tags pra fazer mais sentido.

Vamos ver se vai dar certo... Então, esse blog vai ficar muito maior, vão aparecer umas postagens novas mas com data de velhas... é isso mesmo, esse é o processo. E vai dar certo!

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Decisões

Tenho pensado nisso faz tempo: em encerrar um dos blogs. Quem me conhece sabe que eu tenho dois blogs, que os amo, mas que o tempo não deixa eu atualizar os dois de forma justa.

Eu sempre atualizo um deles e tal e acabo deixando o outro pra trás. Só pra efeito de comparação, basicamente um está meio abandonado enquanto o outro está cheio de textos novos e outros vários textos já na espera para serem divulgados.

A decisão virá no fim de semana. Fim de semana esse cheio de coisas a fazer, pra estudar, arrumar... veremos. Mas e aí? Quem será finalizado? Fato: os posts de um vão ser inseridos no outro e ainda farei um post de inauguração da fusão.

Aguarde e confie.

sábado, 31 de agosto de 2013

[Gordinha's Facts] Em busca do pole perfeito

Fiquei lendo e relendo esse meu post aí embaixo... e ficou aquela sensação de que não está fazendo muito sentido no que se refere a tempo cronológico...
Mas sim... esse post não aconteceu ontem ou na semana passada. Deve ter um mês, ou dois. Eu é que vacilei e não liberei ele antes... e por isso, tentei manter a noção de passado, mas nada muito gritante.

Mas sim, essa aula experimental foi ótima e depois dela, não parei de pensar no pole dance. Aquele pensamento de sensualizar - mesmo eu sendo péssima - e de realizar movimentos super bacanas com meu corpo e ao mesmo tempo fazer um exercício punk-hardcore não me saiu da cabeça nem um segundo sequer. Pesquisei escolas, pesquisei barras e decidi: é fato eu fazer.

A barra já está decidida, só estava esperando organizar as coisas em casa pra saber se sobraria espaço de manobra do pole. E sobrou! E se eu arrumar mais, sobra um quarto inteiro!!! Vai ficar perfeito!
Quanto as escolas, foi uma pesquisa muito interessante, mas acho que chegou ao fim. A UMD - a escola onde eu fiz minha aula experimental - é maravilhosa, mas é longe e cara. Sim, ela é cara! Ótima, afinal,  você paga pela qualidade das aulas e das profissionais, mas ainda sim, sai cara. Se eu juntar a passagem, então! E encontrei mais duas escolas, a Up Dance e a Studio Anna Bia, ambas com atendimento excelente, horários diferenciados, locais bem mais interessantes pra mim e preço convidativo!

Fato: pole dance não é uma atividade esportiva barata. É caro, mas o "caro" deve ter um limite né... E eu coloquei um limite pra mim, e as duas últimas escolas atenderam.

Estou animadíssima. Com altas expectativas. Acho até que altas demais. Faço coreografias mentais com músicas excelentes e tenho certeza de que vou ficar frustrada se não conseguir fazer metade. Também ando vendo uns milhões de vídeos no YouTube sobre a modalidade e tenho gostado muito, pois tenho visto mais os que ensinam os movimentos. Confesso que não gosto muito dos que mostram apresentações, já que no fim das contas, nada se aprende neles. E ainda estou vendo outra vantagem: NÃO VOU PUXAR FERRO NA ACADEMIA!!!! O pole é um exercício tão completo, que não rola malhar... pq não precisa!!! Isso só me animou mais.


As aulas regulares vão começar! Animação 100%!!! Vem foto!

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

[Gordinha's Facts] Pole Dance - Warming-up

Mais do que uma aula, foi um desafio. Sempre li sobre Pole Dance através da página social de uma grande amiga (a que eu tive a honra de ser madrinha de casamento); ela, inclusive, foi minha grande incentivadora desta aula experimental de pole dance. Sempre quis, mas batia sempre aquele medo, aquele sentimento de passar vergonha, aquele feeling de que não é algo que poderia combinar comigo.

Vim trabalhando o psicológico ao longo dos meses e adquirindo mais coragem pra me encarar diante de um mega espelho por 1h30. Gente... fala que não rola aquela intimidação básica de corpos elegantes ao seu redor? Como lidar? Como eliminar o pensamento de que você está gorda e pode se sentir mais gorda ao ser exposta ao lado de corpos trabalhados com exercícios? Foi MUITO trabalho psicológico!

Finalmente coloquei todo o trabalho psicológico à prova e encarei uma aula experimental. O clima já começou super leve, minha instrutora era uma fofa e muito atenciosa com todos. A escola, Ultra Modern Dance, na Barra da Tijuca/Rio. Os corpos são esculturais, sem dúvida, mas caiu por terra aquele meu pensamento de que eu seria notada por ser gorda; ninguém notou meu corpo, mas sim o que eu podia fazer com ele. Foi uma aula de descobertas sobre mim mesma, já que não sabia do que era capaz, nunca tinha feito nada parecido. Me coloquei, em alguns momentos, no meu limite e acho que gostei. Ok, ok... gostei!

Fiz vários movimentos do pole, dois quais não decorei os nomes (ainda), mas certamente meu corpo irá se lembrar por alguns dias. Como assim??? Os movimentos são tensos, exigem força, flexibilidade e sim, graciosidade. Você faz força com os braços, as pernas agem como braços em determinados momentos e tudo isso sem poder esquecer os movimentos graciosos e sexies. Difícil a conciliação de tudo, mas o truque é pensar nos movimentos como um conjunto. Ao fim das aulas, estava dolorida como poucas vezes e bastante satisfeita. Aula aprovadíssima - até já pesquisei diversas escolas, fiquei na dúvida entre 03, e estou só aguardando outros fatores externos para finalizar minha matrícula.

Passei pela minha primeira aula de pole dance bem, acredito que com louvor. Vamos as próximas!!! Nada de fotos (ainda), afinal, aula experimental não conta pra isso - você vai mais ou menos arrumada, até pegar o jeito das coisas. Nas próximas aulas, quem sabe eu fotografe algo.

BTW, preciso mesmo voltar a correr mais na esteira, perder mais peso, mais rápido. Minha figura diante do espelho ficou me cutucando o tempo todo, me fazendo lembrar do peso extra que estou carregando. Foi esquisito me encarar o tempo todo, afinal, evito ao máximo o encontro do meu olhar com um espelho - salvo na hora da maquiagem. Isso tem de mudar!!! E quantas vezes já disse isso??? Tenho de parar de falar e agir!


Vamos?

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Mais ventos...

O post anterior era pra ter saído faz tempo (e este também!!!)! Já estou instalada no meu apê, pagando minhas contas mensalmente, cozinhando no meu fogão, abrindo e fechando a minha geladeira, arrumando minha confortabilíssima cama, pisando nos meus tapetinhos e me refastelando no meu sofá. Tenho passado por momentos muito felizes.

Compramos todos os itens básicos que uma casa deve ter (na minha opinião): geladeira e TV. Atire-me uma pedra se você curte beber água quente e não ter lugar para guardar alimentos. E nem me diga que daria pra ficar tranquilo sem uma TV - eu não engulo essa.
Fizemos as contas e compramos o que achamos importante primeiro, fazendo sempre as contas pra controlar o orçamento e no fim, compramos tudo o que queríamos. Eu fiquei com a tarefa divertida de comprar os itens de casa mesmo, como toalhas, roupas de cama, utensílios domésticos... Minha mãe me ajudou muito, sempre observando em lojas as coisas que eu poderia gostar e me dando dicas, quando não, comprava para me presentear. Nessas andanças dela, acabei ganhando um microondas e um fogão, além de várias coisas lindas de casa.

Já fizemos até almoço para reunir as famílias!!! Mas não sem antes reforçarmos pratos e talheres... hahahahahahaha (sim, tínhamos o básico MESMO). Fizemos no dia dos pais, animadíssimo e  bastante acolhedor! Fiquei um trapo de tão cansada, mas no fim, valeu muito a pena. Acho que Marcus gostou muito mais do que eu, já que mal terminava o almoço e ele emendou uma intenção de celebração natalina. Não fui contra, até curti, mas fiquei tensa, afinal, pra uma marinheira de primeira viagem (que até está se saindo muito bem na cozinha) um almoço natalino é muito sério.

Envolvidíssima nessa nova vida, tenho me descuidado completamente do corpo. Parei com meus exercícios na academia, parei de correr, parei com tudo pra me dedicar a arrumar a casa, a fazer a transição de uma forma tranquila... e agora que parece que tudo está nos eixos, só me resta voltar. Andei bastante pelo bairro para conhecer as opções de academias e tal, e escolhi algumas. Em breve, estarei de volta a minha rotina normal de exercícios... veremos.


segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Ventos de Mudança

Faz tempo que queria sair de casa... Na verdade, sair da casa da minha madrinha, ter meu cantinho, chegar na minha casa depois de um dia exaustivo de trânsito e trabalho, de fazer minha comida, de abrir a minha geladeira. Enfim, depois de conversar com meu namorado, resolvemos que daríamos esse passo importante juntos e agora. Conversei com a minha mãe primeiro; sempre compreensiva, ficou feliz com minha firme decisão e um pouco receosa. Acho que por culpa daquele momento onde se percebe que os filhos estão ganhando suas asas definitivas, que estão prontos para se aventurar sozinhos em campos desconhecidos e sem os pais.

Após a decisão, uma coisa era certa: arrumar as coisas para ir embora. Eu adoro arrumar minhas coisas, mas só embalando absolutamente tudo para descobrir quanta tralha você tem. E cara... eu tenho muita!!! Sensata, arrumei as tralhas antes de embalar, isto é, resolvi que tinha coisas a jogar fora ao invés de simplesmente pegar tudo e encaixotar. Eu teria de fazer essa limpeza na saída ou na chegada. Arrumei a maioria das minhas coisas. Aproveitei as férias, feriados e fins de semana e de cara embalei meus livros. Aproveitei para guardar os itens de decoração da minha pequena estante, minhas medalhas, a maioria dos meus sapatos e a maioria das minhas roupas. Deixei o básico, ou perto disso, pra ser embalado definitivamente, na saída derradeira. Tenho sorte de ter um namorado com carro e disposição pra me ajudar a fazer o translado das caixas. Porque sim, precisa de disposição: caixas extremamente pesadas e eu, falando alto para que se cuide das minhas coisas. Tem de ter saco mesmo!

As coisas de um lado estavam sendo feitas, mas e do outro? OMG!! Teria de começar do zero absoluto. Fiquei tensa. Tanta coisa pra organizar, nem tanto tempo disponível. Fiz uma lista gigante, acho que não parei de escrever em nenhum momento, exceto quando estava realmente dormindo. E por falar em dormir... foi quase impossível dormir na primeira semana em que tudo já estava acertado. Não conseguia parar de fazer planos, não conseguia parar de planejar os mínimos detalhes da arrumação, da mudança, das compras... A lista estava - e ouso dizer que continua - gigante! Do útil ao fútil, acho que não deixei faltar quase nada. Me baseei na casa da minha mãe, tomando como exemplo os itens da casa dela e tal... claro que fui dar voltas em lojas de utensílios para casa, para ver as coisas e bater com a lista, coisa que me foi muito útil, pois descobri que esqueci alguns itens mega básicos, tipo talheres...

Fui em lojas caríssimas e em outras super simples. Todas me ajudaram. Nas mais baratas, quis comprar absolutamente tudo, já que, com o preço convidativo não dava pra deixar oferta alguma passar. Já nas lojas ricas... a vontade era a mesma! Levar tudo, simplesmente porque era lindo. Mas o limite do cartão e da conta bancária foram argumentos suficientes para que eu me controlasse. No fim, não comprei nada na loja rica, mas fiz fotos lindas para tomar como base para decoração e lembrar de alguns itens dos quais gostei e não me esquecer deles para assim que puder, comprar.

Mas e a casa nova? Não é uma total desconhecida para mim... Passei por excelentes momentos nela, dei muitas risadas... acreditamos que o lugar guarda esse tipo de memória, então já sei que serei feliz ali. Mas e a arrumação?? Não tem outra maneira de dizer: o apartamento estava UMA ZONA! Muitas coisas pra limpar, guardar... explico. Saído de uma recente mudança, ele está com os resquícios da moradora anterior (que eu conheço e adoro!), moradora que nos deixou alguns móveis, e muitas outras coisas. Meu primeiro - e mais importante - compromisso firmado com ela foi o de guardar tudo o que ela deixou lá. Comecei com o momento mais tenso: o da faxina, MEGA FAXINA. A arrumação começou tensa! Passei como um furacão - como disse o Marcus - por um dos quartos e deixei ele limpo em menos de 30 minutos! Eu adoro arrumar as coisas e a ansiedade de ver tudo brilhando ajudou nessa questão! Devo dizer que passado um tempo, de muito suor e poeira, a primeira fase foi concluída com sucesso...
Eu volto para a próxima...

Beijos

terça-feira, 16 de julho de 2013

Energia que Contagia

Após o casamento de Priscila e Yuri, é impossível não desejar se casar. No meu caso, brotou no momento em que fui convidada pra ser madrinha. Foi uma honra ser convidada pra uma posição dessas... a responsabilidade era muito grande, fiquei muito feliz mesmo. No dia "D", foi tudo muito emocionante, acho que fiquei mais nervosa que a noiva e chorei baldes, como não poderia deixar de ser. As músicas foram perfeitas, as pessoas estavam lindas - salvo uma pessoa de jeans que matou a parada toda - tudo estava impecável. Desde a organização da igreja já se podia imaginar que a festa não ficaria atrás. E não ficou. A festa foi linda, tinha tudo (até bolo RYCO com recheio de champagne), todos transbordando em felicidade e o assunto das  mesas com meninas solteiras não poderia ser outro: quem pegaria o bouquet, pra ser a próxima a se casar, e quanto custava se casar, quanto custava o sonho de tudo perfeito e da cara de felicidade dos noivos.

Olha a felicidade (e o LUXO) de geral no casório.


Uma coisa é certa: após ver tudo o que a festa da Pri tinha a nos oferecer, casar não é barato (e olha que ela fez um um mini wedding e DE DIA). E sabe que eu me contagiei com essa coisa de casamento??? E sempre lembro da Fernanda também (uma grata surpresa na minha vida), que está prestes a se casar (assim que o noivo parar de enrolar com a data) e sempre me fala que os orçamentos estão pela hora da morte, super caros, tem mesmo que juntar dinheiro e enxugar a lista de convidados. Comecei a buscar casas de festa e possíveis orçamentos e fiquei surpresa ao descobrir que não entendo absolutamente nada de casamentos e menos ainda de um bando de terminologias próprias que são utilizadas na preparação do casório. Não sei neca de pitibiriba sobre moda de casamento, não faço idéia de locais para o evento e pra mim, não existe nenhum nome conhecido no que se refere a estilista de vestidos (que pensando melhor, acho que nem quero saber, afinal, não pretendo usar um vestido de noiva, muito menos tradicional). Fiquei perdida, bateu até um desânimo, quando comentei o caso com algumas amigas - Bebel e Mari do http://toogirly.com.br/, que me indicaram o blog http://descobertasdeumanoiva.blogspot.com.br/ . Uma grata descoberta (MESMO) já que ela disponibiliza toda a saga dela para se casar desde o momento definitivo da decisão de se casar até o dia escolhido e tudo organizado e contratado. Leitura obrigatória desde já! (mesmo que minha intenção não seja casar de verdade, o interesse grande é no local da festa, os comes e bebes, a decoração)

Comecei a ler o blog, do post mais atual para o mais antigo e achei a parte que eu mais queria e conversei com a Fernanda: os orçamentos! Fiquei tonta com a disponibilidade de coisas pra agradar aos noivos/convidados e a diferença de preços! Algumas coisas me irritaram, tipo: ser obrigada a contratar um ou outro determinado buffet. Enfim, são coisas a estudar, tenho muita coisa pra ler, coisas a decidir que eu quero ou não na festa. Não queria nada absurdo não, afinal, não quero um casameeeeeeento. Quero mesmo uma festa bacana, vou usar um vestido de cor clara e quero tudo arrumadinho. Todos vão saber que ali estará sendo celebrado uma união, mas nada muito formal.

Mas é aquilo: está decidido juntar uma graninha, mesmo que leve, todo mês. Sem compromisso, sem exageros. (Mas como assim sem compromisso?????) Vou juntar o dinheiro, mas quem disse que o boy sabe que eu tenho essa pretensão toda??? Hahahahahahahahaha - tenho de me preparar pra quando ele decidir! Tenho de estar pronta!

terça-feira, 25 de junho de 2013

Calma...

Você pode até não acreditar, mas fato é que existem vários posts no meu rascunho, aguardando o momento certo para serem exibidos. O momento finalmente chegou, vou voltar a postar...
E justo agora, que abri o blog, me programei, estou CHEIA DE COISAS para fazer! Mas eu volto, calma...

quinta-feira, 23 de maio de 2013

[Gordinha's Facts] Projetos

Ando com um planejamento grande para o restinho desse e o próximo mês com relação as minhas atividades físicas. Fiquei um tempo parada, afinal, estava de férias em março e não quis "perder" minhas manhãs com a academia, pois sempre tinha alguma tarefa para realizar; depois vieram as aulas num ritmo frenético. Estava 6 anos sem tirar férias, então resolvi aproveitar para colocar a vida em dia. E coloquei. Mas coloquei tanto, que vem por aí uma vida nova! Vida essa que será exposta aqui no blog!!!

Mas o planejamento começa a ser colocado em prática já! Adoro me dar coisas para incentivo a práticas esportivas! Sempre gostei! Li em algum lugar que esse tipo de coisa incentiva a iniciar uma nova atividade ou simplesmente dá mais um gás para que você siga em frente na sua atividade. Super concordo! Tanto, que acabei de me dar uma bolsa de treino nova, dessas que deixam o material respirar e tal... não, minha outra bolsa não está rasgada ou coisa parecida, mas simplesmente me dei esse mimo para me incentivar e marcar essa minha nova fase mais agressiva aos exercícios.

Esse meu grande planejamento tem motivação extra! Fui convidada por uma super amiga para ser madrinha de casamento dela. Fiquei extremamente feliz com o convite... já é lindo ser convidado para o casamento, mas ser madrinha é outra coisa, você vai fazer parte das bênçãos, você representa uma amizade muito bacana, fortalece esses laços. Então... não posso de forma alguma fazer feio né? Imagina sair gorda e estranha na filmagem e nas fotos? Não vai rolar né... Então, é investimento pesado no Muay Thai!

Eu adoro as lutas! Mas agora o treino será punk-hardcore! Vou me dedicar mesmo, tentando treinar todos os dias. O boxe, resolvi cortar... não estava dando certo pra mim! Resolvi investir em outra modalidade de luta, que vou contar mais a frente. Vou correr também... Não será aquele luxo quando eu corria com o Luciano, mas eu vou tentar fazer quase o mesmo treino que ele me dava, e claro, na última esteira da academia, naquela mais escondida, pra ninguém ficar reparando em mim. Quanto a malhação.... bastante provável que eu não faça, afinal, não gosto mesmo! Sei que precisaria malhar pra fortalecer os músculos da perna e tal, mas é um sacrifício tão grande! Mas eu tentarei... E já vi a natação! Infelizmente não farei, não agora, já que o governo do estado do RJ curte lavar dinheiro e fazer obras inúteis e vai DEMOLIR o parque aquático do Maracanã para construir um estacionamento! Achei absurdo! Privar pessoas carentes, deficientes físicos e atletas de um espaço tão democrático de práticas esportivas. Uma pena, e essa é a cidade da Copa, o país das Olimpíadas.

Ufa! Depois do desabafo, voltemos ao assunto original. Mas não, não farei natação (não vejo como agora) e terei de compensar a natação com outra modalidade de exercício, que comentarei mais a frente também. E para ajudar mais, comprei um Diário da Boa Forma! E como é isso? É realmente um diário, onde você planeja sua vida fitness por 12 semanas, colocando objetivos, quais exercícios físicos pretende fazer e fazem, o que come, o que bebe... Achei bem bacana. Pra quem tem saco de anotar tudo, vai tirar de letra; e quem não tem esse hábito ou essa facilidade, se manter o foco vai aprender a ter e até a gostar! O bacana do diário é que eles pensaram em tudo, afinal, você coloca sua meta para 12 semanas mas se coloca em degraus, marcando metas semanais. E você tem de ser honesto com você mesmo, ou seja, você pode enganar os amigos dizendo que malhou horrores, que está super focado, mas no diário, você pode expor o fato de que nem malhou tanto assim, que não deu o seu melhor, afinal, é o seu diário, ninguém precisa ter acesso a ele, é particular! Eles montaram umas páginas explicativas, colocaram diversas tabelas calóricas, colocaram também o quanto se perde quando se executa uma determinada atividade, cálculo de IMC dentre outras coisas super bacanas. Estou particularmente animada com relação a ele, querendo me provar pra saber se sou mesmo disciplinada a esse nível. Queria começar pra ontem, mas não achei uma boa. Até o diário começa na segunda!! Fora que, começando no meio da semana, você perde páginas do diário e não estabelece uma meta semanal interessante, ou seja, digamos que sua meta semanal seja perder 2kg; se você começar a semana hoje, contando a partir de hoje (no caso, quinta-feira) não garanto que você vá alcançar seu objetivo e não alcançando, você fica triste, achando que falhou naquele objetivo.

Planejamento a todo vapor! Luta, corridinha na academia e Bike. Aproveitarei minhas (poucas) manhãs livres para dar o start no planejamento, no projeto #maidofhonorproj. A alimentação continua a de sempre, com muita salada e uma carne/peixe em dias de semana e quase nada de carboidratos. Ando particularmente animada com algumas receitas de low-Carb. No próximo post eu falo mais sobre isso! E sobre alguns outros planos de fitness! Não vou esquecer!


No mais, ando animadíssima e pronta para experimentar novos exercícios... Vem ai, o Insanity!

quinta-feira, 25 de abril de 2013

[Gordinha's Facts] Outra Corrida!

Eu disse no post da "volta" que tinha começado (ok, ja até parei de treinar com ele, mas isso é recente e não vem ao caso) a treinar com outra pessoa né? Então... Acho que também disse que o pouco treino que tivemos em janeiro já me fez correr, não tudo, mas boa parte do trajeto de 5km de uma prova super bacana que rolou no início do ano, o Circuito do Sol. A cara do verão, adorei o clima "quente" da prova, como cores, roupas adequadas e um excelente suporte.

Esse evento foi super especial pra mim, era o meu primeiro depois de um treinamento serio focado para isso. Lembro como se fosse hoje, o Luciano dizendo que nunca devemos sacrificar nosso corpo, ou seja, logo nesse primeiro mês, eu, que nunca corri de verdade, não conseguiria completar a corrida toda, mas correria o máximo dela, dando o meu melhor. Até cheguei a perguntar o motivo pelo qual ele achava que eu não correria todos os 5km e ele foi super simples na resposta: os espaços de treino e corrida são completamente diferentes. E pensando bem... É OBVIO! Correr no ar condicionado, na esteira lisa, sem interferências do meio ambiente, sem obstáculos e completamente diferente de se correr na rua, onde os obstáculos são constantes e a preocupação com o corpo é maior.

Mas eu fui, depois de muitos treinos, para o meu primeiro desafio. Marquei com as amigas, lógico! A veterana E MAGRA Raquel, a estreante Inês, a parceira de sempre Simone e as amigas. O dia não estava táo quente, mas estava prestes a abrir um mega sol, então fomos preparadas para um dia de sol, com viseiras e protetor solar.

Na largada, a idéia era a de que eu andasse forte por 5 minutos, pra aquecer todos os músculos e depois começasse a correr de forma intercalada, exatamente comoveu fazia na academia... mas aquela adrenalina toda, com aquele apoio todo, me senti preparada já para largar correndo e foi o que eu fiz. Comecei correndo, nada muito forte, mas eu percebi que meus músculos estavam frios... não segui a orientação do treinador e após 7 minutos de corrida ininterrupta, eu comecei a caminhar forte e minhas amigas corredoras já ganharam distancia. A partir daquele momento, passei a intercalar exatamente como estava fazendo nos treinos e deu super certo. E eu disse que o sol sairia, ardendo em nossas cabeças e não deu outra: ao passar pelos postos de água, todos pegavam dois copos, onde um era ingerido e outro jogado na cabeça, para refrescar o corpo. Eu fiz isso, mas naquele medinho de molhar o iPod todo, me molhei com cuidado.

E a prova foi se desenvolvendo, até eu ver as últimas placas da prova que marcavam os 500 metros finais, de 100 em 100 metros. Foram os 500m mais sofridos da vida! A EXAGERADA!! Aquela contagem regressiva mental, silenciosa, acabava comigo a cada passo. Na última placa de 100 metros eu pensei em caminhar, mas alguém, naquela multidão da chegada, parece que leu minha mente, percebendo minha intenção de caminhar e começou a gritar. A pessoa, que até cheguei a procurar, gritava para que eu não desistisse, que estava acabando, que valeria. Sob gritos de "VAMOS", "NAO PARA" e "NÃO DESISTA" eu corri como se estivesse largando, como se fosse o início da prova, e terminei. Chorei. Discretas lágrimas rolaram pelo meu rosto, sinalizando o fim da prova e a conclusão daquele meu desafio pessoal. Adorei.

Depois foi festa, fotos... Fiquei feliz com o tempo que fiz... E pretendo melhorar! Mesmo sem treinador, vou correr atrás do prejuízo! Olha a meta!

Abaixo, olha as fotos de parte das corredoras!



terça-feira, 23 de abril de 2013

[Gordinha´s Facts] Voltei!

Quanto tempo que não venho aqui né? Mas se você acha que estar longe daqui significou estar longe dos exercícios, se enganou. Continuo naquela saga de perder peso, de comer menos, de freqüentar a academia... mas confesso que ultimamente, um mês, aproximadamente, eu não tenho freqüentado a academia; ando tão envolvida com algumas questões pessoais, que não está sobrando tempo pra cuidar de mim, mas eu tenho que voltar!

E estou voltando pra academia e para os meus treinos de corrida... Treinos esses que vinham bem, explico: no fim do ano, bem no finalzinho de dezembro, decidi que aqueles meu treinos na Praça Paris, perto de casa, não estavam sendo práticos pra mim, afinal, eu ia correr no parque, tinha que levar minha bolsa de ginastica/faculdade, mas não tinha onde guardar ou alguém para tomar conta. E ainda tinha o fato de que o meu treinador não ia sempre, então isso me dava aquele desânimo. Resolvi mudar, tecnicamente saí da equipe, parei de treinar com ele e fui buscar uma coisa só na academia. Acabei conhecendo o Luciano, personal da academia que eu freqüento e fechamos uma parceria de treinos, onde eu iniciaria a prática de corrida, com treinos 3x na semana. Fechamos um valor de 40 reais por aula, o que deu uma quebrada no meu orçamento, afinal, eu pagava 20 reais POR MÊS na outra equipe, mas eu achei que valeria a pena e resolvi arriscar.

Os treinos começaram em janeiro e eu adorei. Se pudesse, ficaria com o personal o ano inteiro, mas o fato é que 3x na semana já estava puxado e nem quis imaginar o quanto seria todos os dias! Então eu treinei com ele o máximo que eu pude! E logo no final de janeiro, quem diria! Corri numa prova! Não corri a prova toda, mas corri uma booooa parte e fiz o meu melhor tempo até hoje - depois eu falo mais dessa prova. Em fevereiro, os treinos continuaram, mas meio loucos, já que tivemos interrupções por conta do carnaval e tudo o mais, mas eu treinei. Mas em março, vieram as minhas férias! Viajei logo no inicio do mês de março e não fui treinar por uns 14 dias seguidos. Quando voltei das férias, me decidi por não ter mais o personal, pois tinha planos audaciosos pra minha vida e 400 reais por mês fariam uma falta tremenda! Então, desde que voltei da minha viagem de férias, eu não corro. Até participei de um evento de corrida, mas como estava praticamente um mês sem correr, eu caminhei alegremente com uma querida amiga - que me faz muita falta no dia a dia - e colocamos o papo em dia!

Pretendo voltar a correr, o quanto antes! Estou até cogitando voltar para o treinador da Praça, mas tenho que me planejar mais. Até queria correr sozinha, mas o fato é que eu preciso de apoio moral, logo, preciso de alguém do meu lado pra ficar me incentivando, ali na esteira mesmo, que me diga que a minha postura está errada, que minha respiração tem de melhorar. Até tenho umas planilhas de treinamento, cada uma com um objetivo diferente, mas eu não me sinto bem para seguir. As vezes acho que simplesmente não vou conseguir, outras vezes acho que não tenho a disciplina necessária. O fato é que eu não sigo as planilhas, ainda não voltei a correr, e estou de mimimi pra recomeçar. Tenho procurado uma galera pra correr comigo, como num grupo de corrida e tal, mas tem sido bastante complicado; as vezes o local não me favorece, por outras, o preço é altíssimo, as vezes o grupo só monta a planilha e não te acompanha nos treinos... Hoje passei boa parte da manhã pensando em simplesmente correr sozinha e alcançar meus objetivos por mim mesma... Será essa a meta!

E as lutas?? Eu conto...

Abaixo, olha eu e minha amiguinha linda no nosso ultimo evento... Colocando o papo em dia!





sexta-feira, 29 de março de 2013

Mas já???

O mês de fevereiro passou, o mês de março também e não resolvi a questão de experimentar minhas aulas dos meus planos inacabados. Fiz tantas coisas que acabei deixando algumas de lado... Mas minhas férias ainda não acabaram, então ainda tenho tempo de realizar absolutamente tudo!

E as férias? Estão perfeitas! Viajei, curti - e ainda estou curtindo - bastante. Estava mesmo precisando desse tempo pra mim. No fim das contas, estou com a família feliz e com o namorado feliz, mas acima de tudo eu estou feliz. Não vou dizer que estou descansada, mas estou fazendo tudo o que eu quero.

Virão novidades por ai. Tenho milhões de coisas pra contar, mas tudo tem ocorrido de forma tão perfeita enquanto secreta, que vou deixar assim até onde eu puder. Enquanto isso, vou aproveitando as férias, fazendo tudo o que eu posso...

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Inacabados

Tempo que não venho por aqui. O ano passou, rolam todas aquelas promessas de sempre, com a maior força de sempre. Porque vamos combinar: na virada do ano você faz uma promessa com todas as forças que possui, pois acredita que só assim vai dar certo. Mas sempre se esquece de uma coisa: basta você realizar para dar certo.

Na virada do ano eu não fiz nenhuma promessa. Fiz apenas dois pedidos: de muita felicidade e muita saúde para todos os que amo e que me cercam. Achei que isso foi o suficiente. Com saúde e um brilho no olhar, corremos atrás do que queremos. Também inovei no natal que passou: não pedi nada ao Papai Noel. Minha sobrinha de 6 anos achou um tremendo absurdo eu não pedir nada, mas resolvi não dar lições de moral sobre desejos materiais para uma criança de 06 anos. Mas no fundo, até que eu pedi sim. Pedi saúde, paz e muita força de vontade pra seguir em frente com meus projetos.

Ah... meus projetos! Ando cheia deles! Mas o meu maior defeito – reconheço – é não seguir em frente com eles. Sempre pego um projeto e abandono no meio. E quando penso em retomar, penso em todos os que larguei e daí surge um novo problema: muitos projetos ao mesmo tempo. O último que surgiu é de que eu quero fazer um curso de corte e costura. Não, não quero fazer um curso de moda, mas queria saber costurar. Mas pensando bem – coloquei o foco como prioridade para o pontapé inicial de realizar/finalizar os projetos – não vou costurar. Não vou adaptar minha escrivaninha com uma máquina de costura pra ficar fazendo alguns modelos em casa. Não tenho tempo... e fato: não tenho saco! (nossa... finalmente estou conseguindo dizer NÃO antes de iniciar alguma coisa. Isso normalmente acontece quando eu já comprei tudo, já paguei... – evolução!!!)!

Ando querendo estudar também, mais do que o normal, mas não estou conseguindo. Está na minha lista de “to do” ao chegar em casa, mas ignoro a lista, infelizmente (olha o foco!). Até separo o material, mas não ando a pessoa mais concentrada do mundo pra estudar, mas isso tem de mudar! Espero que ainda nessa semana, pois o prazo está acabando!

Desde o ano passado, coloquei na cabeça a ideia de praticar esportes ou simplesmente fazer coisas pra me mexer. Tenho ORGULHO em dizer que desde que entrei pra academia de lutas, em outubro, frequento ao menos 3x na semana. Faço corrida e lutas. Queria malhar de verdade, mas poxa... sou a menina que abandona os projetos e já estou cumprindo bem a tarefa de frequentar a academia, então a malhação definitivamente pode esperar, fora o fato de que eu já não gosto muito de malhar. Mas além da academia, ano passado resolvi fazer natação, yoga e dança. Impossível né? SIM!!! Tanto é impossível que no ano passado tentei me programar pra tudo, mas não consegui e deixei pra lá, mas desde ontem essas ideias todas voltaram – não disse que voltavam todas juntas e do nada??? Então parei pra pensar sobre tudo. Resolvi pesar todas as atividades, ver se vão se encaixar pra mim, se vão me ajudar em algo. Está nos meus planos realizar uma aula de cada coisa que eu me propus no ano passado. Tenho de testar pra saber se funciona, se eu gosto...

Ainda no ano passado, não cismei apenas com dança, cismei com ballet. Fato: não sou delicada (ninguém me acha delicada e a justificativa é a de que eu faço artes marciais, mas poxa, eu sou um pote de margarina qualy), mas os brutos também tem sua vez e porque não eu? Fui assistir a aula. Adorei a professora, o preço, o local... mas só tinha gente magra na aula e fiquei meio na bad. Até que chegou uma moça, parecia ter seus 30 e poucos e era gordinha. Super sociável, lá fui eu perguntar a ela o motivo de ela estar fazendo, se era bacana e tal... Super simpática, a moça me disse que estava ali se divertindo e ao mesmo tempo se mexendo. Ela não queria ficar parada e não gostava de academia e encontrou na dança uma maneira de malhar. Até perguntei a ela porque o ballet, já que parecia que não perdia muita coisa, e ela me disse que era só impressão de quem está de fora. O ballet mexe com o corpo todo, tonifica, emagrece, dá flexibilidade. Achei bem bacana, saí da escola de dança até bastante animada pra voltar, mas até hoje não voltei. Mas eu vou fazer uma aula! Vai que...

E aí me contaram dos benefícios da yoga. Fiquei super curiosa pra fazer, tive depoimentos de amigas que fazem e acham maravilhoso - e algumas dessas amigas chegaram a me mostrar o corpo pra eu ver como funciona e sim, para algumas deu certo - super relaxante e tudo o mais e eu coloquei na cabeça: tenho de fazer yoga. Ainda sob as mesmas suspeitas de que eu sou bruta, não sabia se yoga era pra mim, já que não tinha gritaria nem uma música animada, mas resolvi tentar. Achar o lugar foi super difícil, não só pela localidade em si, mas pelo preço. Pensei em fazer perto do trabalho, coisa prática toda vida, mas é caríssimo. Minhas amigas magras e nojentas me indicaram uma modalidade diferente de yoga, a Hot Yoga, oferecida pela escola Bikram Yoga. Pesquisei e achei muito interessante: uma aula de yoga em 90 minutos, numa sala aquecida a aproximadamente 40 graus, você se colocando no limite. Tenso, mas fiquei disposta a tentar. Mas vi que só tinha essa escola na Barra, mega longe de tudo e isso me fez murchar e aparentemente desistir. Mas, num dia no shopping, eu ganhei o mat, o tapetinho da yoga, o que me despertou a vontade de experimentar a hot yoga e para minha surpresa, abriram uma escola perto da minha casa e a oportunidade se fez! Mas até agora não experimentei. Acabei indo numa escola de yoga tradicional, ridiculamente ao lado da minha casa e super escondida. Eu gostei da aula, mas nao senti que trabalha meu corpo loucamente. Ainda tenho planos de experimentar a sala quente de yoga e estou me programando pra isso. Vou decidir, certamente.

E a natação? Os planos para praticar vem de anos, mas nunca consigo fazer! Cada hora é uma coisa que eu considero um obstáculo, como horário, local, preço... E sobre a prática da natação, não precisei ir longe nem em sites de busca para perceber seus benefícios. Tenho amigas super próximas que não dispensam a natação nunca! Um exercício de baixo impacto, que realmente trabalha todos os grupos musculares. E sempre tive curiosidade em nadar, até porque, eu não sei nadar! E eu cheguei a comprar os itens indispensáveis: maiô, touca retrô (de bolinhas, linda), mais uma touca lisa e óculos. Mas neeeeem fui. Resolvi retomar a idéia no ano passado e pesquisei em muitos lugares. E quando eu digo que pesquisei, eu REALMENTE PESQUISEI. Fiz uma lista gigante de locais e preços, mas nada me atraiu. Até que eu tive a brilhante idéia de lembrar do Parque Aquático Julio de Lamare, o Maracanã! Confesso que o valor das aulas de natação estavam pesando muito na minha decisão e o Maracanã não seria tão caro e eis que recebo com grande alegria o email da secretaria de lá, dizendo que a natação era free, grátis, não pagava nada! No início fiquei meio desconfiada, afinal, nada é de graça hoje em dia, ainda mais natação, que só achei super caro em todos os lugares que vi, resolvi ligar. Tirei todas as minhas dúvidas e deixei a pergunta derradeira pro final, e não é que a atendente me confirmou que as aulas de natação eram gratuitas? Acho que até ela percebeu meu sorriso de felicidade através do telefone. Poxa, estava certo né? Era obvio que eu faria natação, afinal, do lado da faculdade, de graça, num horário super possível... Mas não. Bateu aquela preguiça e acabei não indo. Absurdo né? Do lado da faculdade e eu nunca fui... Mas tenho planos sim de ir. Meu medo na natação é o professor me largar na piscina e não me ensinar a nadar de verdade! Morro de medo de me afogar, confesso que rola uma fobia.

Meus planos para esse inicio de ano é experimentar todas essas coisas que me propus e não realizei. Tenho de parar de me boicotar. Na semana que vem, já é carnaval, então nada funciona direito e após a quarta de cinzas, as pessoas ainda estão despertando da festança, saindo da ressaca pra entender que o ano finalmente começou. Então, na semana seguinte a do carnaval, vou me programar um dia pra ir na hot yoga, outro para ir a natação e mais outro para fazer uma aula de ballet. O mês de fevereiro vai ser decisivo na minha rotina, vai ser o mês onde eu vou abraçar o projeto de vez ou rasgar a pasta dele pra sempre, esvaziando a estante. E Deus queira que não para dar espaço a outros novos projetos, como pintura em quadros com tinta a óleo, curso de bolos e doces, escultura em sabonete, areiazinha dentro do barquinho...