quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Inacabados

Tempo que não venho por aqui. O ano passou, rolam todas aquelas promessas de sempre, com a maior força de sempre. Porque vamos combinar: na virada do ano você faz uma promessa com todas as forças que possui, pois acredita que só assim vai dar certo. Mas sempre se esquece de uma coisa: basta você realizar para dar certo.

Na virada do ano eu não fiz nenhuma promessa. Fiz apenas dois pedidos: de muita felicidade e muita saúde para todos os que amo e que me cercam. Achei que isso foi o suficiente. Com saúde e um brilho no olhar, corremos atrás do que queremos. Também inovei no natal que passou: não pedi nada ao Papai Noel. Minha sobrinha de 6 anos achou um tremendo absurdo eu não pedir nada, mas resolvi não dar lições de moral sobre desejos materiais para uma criança de 06 anos. Mas no fundo, até que eu pedi sim. Pedi saúde, paz e muita força de vontade pra seguir em frente com meus projetos.

Ah... meus projetos! Ando cheia deles! Mas o meu maior defeito – reconheço – é não seguir em frente com eles. Sempre pego um projeto e abandono no meio. E quando penso em retomar, penso em todos os que larguei e daí surge um novo problema: muitos projetos ao mesmo tempo. O último que surgiu é de que eu quero fazer um curso de corte e costura. Não, não quero fazer um curso de moda, mas queria saber costurar. Mas pensando bem – coloquei o foco como prioridade para o pontapé inicial de realizar/finalizar os projetos – não vou costurar. Não vou adaptar minha escrivaninha com uma máquina de costura pra ficar fazendo alguns modelos em casa. Não tenho tempo... e fato: não tenho saco! (nossa... finalmente estou conseguindo dizer NÃO antes de iniciar alguma coisa. Isso normalmente acontece quando eu já comprei tudo, já paguei... – evolução!!!)!

Ando querendo estudar também, mais do que o normal, mas não estou conseguindo. Está na minha lista de “to do” ao chegar em casa, mas ignoro a lista, infelizmente (olha o foco!). Até separo o material, mas não ando a pessoa mais concentrada do mundo pra estudar, mas isso tem de mudar! Espero que ainda nessa semana, pois o prazo está acabando!

Desde o ano passado, coloquei na cabeça a ideia de praticar esportes ou simplesmente fazer coisas pra me mexer. Tenho ORGULHO em dizer que desde que entrei pra academia de lutas, em outubro, frequento ao menos 3x na semana. Faço corrida e lutas. Queria malhar de verdade, mas poxa... sou a menina que abandona os projetos e já estou cumprindo bem a tarefa de frequentar a academia, então a malhação definitivamente pode esperar, fora o fato de que eu já não gosto muito de malhar. Mas além da academia, ano passado resolvi fazer natação, yoga e dança. Impossível né? SIM!!! Tanto é impossível que no ano passado tentei me programar pra tudo, mas não consegui e deixei pra lá, mas desde ontem essas ideias todas voltaram – não disse que voltavam todas juntas e do nada??? Então parei pra pensar sobre tudo. Resolvi pesar todas as atividades, ver se vão se encaixar pra mim, se vão me ajudar em algo. Está nos meus planos realizar uma aula de cada coisa que eu me propus no ano passado. Tenho de testar pra saber se funciona, se eu gosto...

Ainda no ano passado, não cismei apenas com dança, cismei com ballet. Fato: não sou delicada (ninguém me acha delicada e a justificativa é a de que eu faço artes marciais, mas poxa, eu sou um pote de margarina qualy), mas os brutos também tem sua vez e porque não eu? Fui assistir a aula. Adorei a professora, o preço, o local... mas só tinha gente magra na aula e fiquei meio na bad. Até que chegou uma moça, parecia ter seus 30 e poucos e era gordinha. Super sociável, lá fui eu perguntar a ela o motivo de ela estar fazendo, se era bacana e tal... Super simpática, a moça me disse que estava ali se divertindo e ao mesmo tempo se mexendo. Ela não queria ficar parada e não gostava de academia e encontrou na dança uma maneira de malhar. Até perguntei a ela porque o ballet, já que parecia que não perdia muita coisa, e ela me disse que era só impressão de quem está de fora. O ballet mexe com o corpo todo, tonifica, emagrece, dá flexibilidade. Achei bem bacana, saí da escola de dança até bastante animada pra voltar, mas até hoje não voltei. Mas eu vou fazer uma aula! Vai que...

E aí me contaram dos benefícios da yoga. Fiquei super curiosa pra fazer, tive depoimentos de amigas que fazem e acham maravilhoso - e algumas dessas amigas chegaram a me mostrar o corpo pra eu ver como funciona e sim, para algumas deu certo - super relaxante e tudo o mais e eu coloquei na cabeça: tenho de fazer yoga. Ainda sob as mesmas suspeitas de que eu sou bruta, não sabia se yoga era pra mim, já que não tinha gritaria nem uma música animada, mas resolvi tentar. Achar o lugar foi super difícil, não só pela localidade em si, mas pelo preço. Pensei em fazer perto do trabalho, coisa prática toda vida, mas é caríssimo. Minhas amigas magras e nojentas me indicaram uma modalidade diferente de yoga, a Hot Yoga, oferecida pela escola Bikram Yoga. Pesquisei e achei muito interessante: uma aula de yoga em 90 minutos, numa sala aquecida a aproximadamente 40 graus, você se colocando no limite. Tenso, mas fiquei disposta a tentar. Mas vi que só tinha essa escola na Barra, mega longe de tudo e isso me fez murchar e aparentemente desistir. Mas, num dia no shopping, eu ganhei o mat, o tapetinho da yoga, o que me despertou a vontade de experimentar a hot yoga e para minha surpresa, abriram uma escola perto da minha casa e a oportunidade se fez! Mas até agora não experimentei. Acabei indo numa escola de yoga tradicional, ridiculamente ao lado da minha casa e super escondida. Eu gostei da aula, mas nao senti que trabalha meu corpo loucamente. Ainda tenho planos de experimentar a sala quente de yoga e estou me programando pra isso. Vou decidir, certamente.

E a natação? Os planos para praticar vem de anos, mas nunca consigo fazer! Cada hora é uma coisa que eu considero um obstáculo, como horário, local, preço... E sobre a prática da natação, não precisei ir longe nem em sites de busca para perceber seus benefícios. Tenho amigas super próximas que não dispensam a natação nunca! Um exercício de baixo impacto, que realmente trabalha todos os grupos musculares. E sempre tive curiosidade em nadar, até porque, eu não sei nadar! E eu cheguei a comprar os itens indispensáveis: maiô, touca retrô (de bolinhas, linda), mais uma touca lisa e óculos. Mas neeeeem fui. Resolvi retomar a idéia no ano passado e pesquisei em muitos lugares. E quando eu digo que pesquisei, eu REALMENTE PESQUISEI. Fiz uma lista gigante de locais e preços, mas nada me atraiu. Até que eu tive a brilhante idéia de lembrar do Parque Aquático Julio de Lamare, o Maracanã! Confesso que o valor das aulas de natação estavam pesando muito na minha decisão e o Maracanã não seria tão caro e eis que recebo com grande alegria o email da secretaria de lá, dizendo que a natação era free, grátis, não pagava nada! No início fiquei meio desconfiada, afinal, nada é de graça hoje em dia, ainda mais natação, que só achei super caro em todos os lugares que vi, resolvi ligar. Tirei todas as minhas dúvidas e deixei a pergunta derradeira pro final, e não é que a atendente me confirmou que as aulas de natação eram gratuitas? Acho que até ela percebeu meu sorriso de felicidade através do telefone. Poxa, estava certo né? Era obvio que eu faria natação, afinal, do lado da faculdade, de graça, num horário super possível... Mas não. Bateu aquela preguiça e acabei não indo. Absurdo né? Do lado da faculdade e eu nunca fui... Mas tenho planos sim de ir. Meu medo na natação é o professor me largar na piscina e não me ensinar a nadar de verdade! Morro de medo de me afogar, confesso que rola uma fobia.

Meus planos para esse inicio de ano é experimentar todas essas coisas que me propus e não realizei. Tenho de parar de me boicotar. Na semana que vem, já é carnaval, então nada funciona direito e após a quarta de cinzas, as pessoas ainda estão despertando da festança, saindo da ressaca pra entender que o ano finalmente começou. Então, na semana seguinte a do carnaval, vou me programar um dia pra ir na hot yoga, outro para ir a natação e mais outro para fazer uma aula de ballet. O mês de fevereiro vai ser decisivo na minha rotina, vai ser o mês onde eu vou abraçar o projeto de vez ou rasgar a pasta dele pra sempre, esvaziando a estante. E Deus queira que não para dar espaço a outros novos projetos, como pintura em quadros com tinta a óleo, curso de bolos e doces, escultura em sabonete, areiazinha dentro do barquinho...