sábado, 31 de agosto de 2013

[Gordinha's Facts] Em busca do pole perfeito

Fiquei lendo e relendo esse meu post aí embaixo... e ficou aquela sensação de que não está fazendo muito sentido no que se refere a tempo cronológico...
Mas sim... esse post não aconteceu ontem ou na semana passada. Deve ter um mês, ou dois. Eu é que vacilei e não liberei ele antes... e por isso, tentei manter a noção de passado, mas nada muito gritante.

Mas sim, essa aula experimental foi ótima e depois dela, não parei de pensar no pole dance. Aquele pensamento de sensualizar - mesmo eu sendo péssima - e de realizar movimentos super bacanas com meu corpo e ao mesmo tempo fazer um exercício punk-hardcore não me saiu da cabeça nem um segundo sequer. Pesquisei escolas, pesquisei barras e decidi: é fato eu fazer.

A barra já está decidida, só estava esperando organizar as coisas em casa pra saber se sobraria espaço de manobra do pole. E sobrou! E se eu arrumar mais, sobra um quarto inteiro!!! Vai ficar perfeito!
Quanto as escolas, foi uma pesquisa muito interessante, mas acho que chegou ao fim. A UMD - a escola onde eu fiz minha aula experimental - é maravilhosa, mas é longe e cara. Sim, ela é cara! Ótima, afinal,  você paga pela qualidade das aulas e das profissionais, mas ainda sim, sai cara. Se eu juntar a passagem, então! E encontrei mais duas escolas, a Up Dance e a Studio Anna Bia, ambas com atendimento excelente, horários diferenciados, locais bem mais interessantes pra mim e preço convidativo!

Fato: pole dance não é uma atividade esportiva barata. É caro, mas o "caro" deve ter um limite né... E eu coloquei um limite pra mim, e as duas últimas escolas atenderam.

Estou animadíssima. Com altas expectativas. Acho até que altas demais. Faço coreografias mentais com músicas excelentes e tenho certeza de que vou ficar frustrada se não conseguir fazer metade. Também ando vendo uns milhões de vídeos no YouTube sobre a modalidade e tenho gostado muito, pois tenho visto mais os que ensinam os movimentos. Confesso que não gosto muito dos que mostram apresentações, já que no fim das contas, nada se aprende neles. E ainda estou vendo outra vantagem: NÃO VOU PUXAR FERRO NA ACADEMIA!!!! O pole é um exercício tão completo, que não rola malhar... pq não precisa!!! Isso só me animou mais.


As aulas regulares vão começar! Animação 100%!!! Vem foto!

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

[Gordinha's Facts] Pole Dance - Warming-up

Mais do que uma aula, foi um desafio. Sempre li sobre Pole Dance através da página social de uma grande amiga (a que eu tive a honra de ser madrinha de casamento); ela, inclusive, foi minha grande incentivadora desta aula experimental de pole dance. Sempre quis, mas batia sempre aquele medo, aquele sentimento de passar vergonha, aquele feeling de que não é algo que poderia combinar comigo.

Vim trabalhando o psicológico ao longo dos meses e adquirindo mais coragem pra me encarar diante de um mega espelho por 1h30. Gente... fala que não rola aquela intimidação básica de corpos elegantes ao seu redor? Como lidar? Como eliminar o pensamento de que você está gorda e pode se sentir mais gorda ao ser exposta ao lado de corpos trabalhados com exercícios? Foi MUITO trabalho psicológico!

Finalmente coloquei todo o trabalho psicológico à prova e encarei uma aula experimental. O clima já começou super leve, minha instrutora era uma fofa e muito atenciosa com todos. A escola, Ultra Modern Dance, na Barra da Tijuca/Rio. Os corpos são esculturais, sem dúvida, mas caiu por terra aquele meu pensamento de que eu seria notada por ser gorda; ninguém notou meu corpo, mas sim o que eu podia fazer com ele. Foi uma aula de descobertas sobre mim mesma, já que não sabia do que era capaz, nunca tinha feito nada parecido. Me coloquei, em alguns momentos, no meu limite e acho que gostei. Ok, ok... gostei!

Fiz vários movimentos do pole, dois quais não decorei os nomes (ainda), mas certamente meu corpo irá se lembrar por alguns dias. Como assim??? Os movimentos são tensos, exigem força, flexibilidade e sim, graciosidade. Você faz força com os braços, as pernas agem como braços em determinados momentos e tudo isso sem poder esquecer os movimentos graciosos e sexies. Difícil a conciliação de tudo, mas o truque é pensar nos movimentos como um conjunto. Ao fim das aulas, estava dolorida como poucas vezes e bastante satisfeita. Aula aprovadíssima - até já pesquisei diversas escolas, fiquei na dúvida entre 03, e estou só aguardando outros fatores externos para finalizar minha matrícula.

Passei pela minha primeira aula de pole dance bem, acredito que com louvor. Vamos as próximas!!! Nada de fotos (ainda), afinal, aula experimental não conta pra isso - você vai mais ou menos arrumada, até pegar o jeito das coisas. Nas próximas aulas, quem sabe eu fotografe algo.

BTW, preciso mesmo voltar a correr mais na esteira, perder mais peso, mais rápido. Minha figura diante do espelho ficou me cutucando o tempo todo, me fazendo lembrar do peso extra que estou carregando. Foi esquisito me encarar o tempo todo, afinal, evito ao máximo o encontro do meu olhar com um espelho - salvo na hora da maquiagem. Isso tem de mudar!!! E quantas vezes já disse isso??? Tenho de parar de falar e agir!


Vamos?

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Mais ventos...

O post anterior era pra ter saído faz tempo (e este também!!!)! Já estou instalada no meu apê, pagando minhas contas mensalmente, cozinhando no meu fogão, abrindo e fechando a minha geladeira, arrumando minha confortabilíssima cama, pisando nos meus tapetinhos e me refastelando no meu sofá. Tenho passado por momentos muito felizes.

Compramos todos os itens básicos que uma casa deve ter (na minha opinião): geladeira e TV. Atire-me uma pedra se você curte beber água quente e não ter lugar para guardar alimentos. E nem me diga que daria pra ficar tranquilo sem uma TV - eu não engulo essa.
Fizemos as contas e compramos o que achamos importante primeiro, fazendo sempre as contas pra controlar o orçamento e no fim, compramos tudo o que queríamos. Eu fiquei com a tarefa divertida de comprar os itens de casa mesmo, como toalhas, roupas de cama, utensílios domésticos... Minha mãe me ajudou muito, sempre observando em lojas as coisas que eu poderia gostar e me dando dicas, quando não, comprava para me presentear. Nessas andanças dela, acabei ganhando um microondas e um fogão, além de várias coisas lindas de casa.

Já fizemos até almoço para reunir as famílias!!! Mas não sem antes reforçarmos pratos e talheres... hahahahahahaha (sim, tínhamos o básico MESMO). Fizemos no dia dos pais, animadíssimo e  bastante acolhedor! Fiquei um trapo de tão cansada, mas no fim, valeu muito a pena. Acho que Marcus gostou muito mais do que eu, já que mal terminava o almoço e ele emendou uma intenção de celebração natalina. Não fui contra, até curti, mas fiquei tensa, afinal, pra uma marinheira de primeira viagem (que até está se saindo muito bem na cozinha) um almoço natalino é muito sério.

Envolvidíssima nessa nova vida, tenho me descuidado completamente do corpo. Parei com meus exercícios na academia, parei de correr, parei com tudo pra me dedicar a arrumar a casa, a fazer a transição de uma forma tranquila... e agora que parece que tudo está nos eixos, só me resta voltar. Andei bastante pelo bairro para conhecer as opções de academias e tal, e escolhi algumas. Em breve, estarei de volta a minha rotina normal de exercícios... veremos.


segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Ventos de Mudança

Faz tempo que queria sair de casa... Na verdade, sair da casa da minha madrinha, ter meu cantinho, chegar na minha casa depois de um dia exaustivo de trânsito e trabalho, de fazer minha comida, de abrir a minha geladeira. Enfim, depois de conversar com meu namorado, resolvemos que daríamos esse passo importante juntos e agora. Conversei com a minha mãe primeiro; sempre compreensiva, ficou feliz com minha firme decisão e um pouco receosa. Acho que por culpa daquele momento onde se percebe que os filhos estão ganhando suas asas definitivas, que estão prontos para se aventurar sozinhos em campos desconhecidos e sem os pais.

Após a decisão, uma coisa era certa: arrumar as coisas para ir embora. Eu adoro arrumar minhas coisas, mas só embalando absolutamente tudo para descobrir quanta tralha você tem. E cara... eu tenho muita!!! Sensata, arrumei as tralhas antes de embalar, isto é, resolvi que tinha coisas a jogar fora ao invés de simplesmente pegar tudo e encaixotar. Eu teria de fazer essa limpeza na saída ou na chegada. Arrumei a maioria das minhas coisas. Aproveitei as férias, feriados e fins de semana e de cara embalei meus livros. Aproveitei para guardar os itens de decoração da minha pequena estante, minhas medalhas, a maioria dos meus sapatos e a maioria das minhas roupas. Deixei o básico, ou perto disso, pra ser embalado definitivamente, na saída derradeira. Tenho sorte de ter um namorado com carro e disposição pra me ajudar a fazer o translado das caixas. Porque sim, precisa de disposição: caixas extremamente pesadas e eu, falando alto para que se cuide das minhas coisas. Tem de ter saco mesmo!

As coisas de um lado estavam sendo feitas, mas e do outro? OMG!! Teria de começar do zero absoluto. Fiquei tensa. Tanta coisa pra organizar, nem tanto tempo disponível. Fiz uma lista gigante, acho que não parei de escrever em nenhum momento, exceto quando estava realmente dormindo. E por falar em dormir... foi quase impossível dormir na primeira semana em que tudo já estava acertado. Não conseguia parar de fazer planos, não conseguia parar de planejar os mínimos detalhes da arrumação, da mudança, das compras... A lista estava - e ouso dizer que continua - gigante! Do útil ao fútil, acho que não deixei faltar quase nada. Me baseei na casa da minha mãe, tomando como exemplo os itens da casa dela e tal... claro que fui dar voltas em lojas de utensílios para casa, para ver as coisas e bater com a lista, coisa que me foi muito útil, pois descobri que esqueci alguns itens mega básicos, tipo talheres...

Fui em lojas caríssimas e em outras super simples. Todas me ajudaram. Nas mais baratas, quis comprar absolutamente tudo, já que, com o preço convidativo não dava pra deixar oferta alguma passar. Já nas lojas ricas... a vontade era a mesma! Levar tudo, simplesmente porque era lindo. Mas o limite do cartão e da conta bancária foram argumentos suficientes para que eu me controlasse. No fim, não comprei nada na loja rica, mas fiz fotos lindas para tomar como base para decoração e lembrar de alguns itens dos quais gostei e não me esquecer deles para assim que puder, comprar.

Mas e a casa nova? Não é uma total desconhecida para mim... Passei por excelentes momentos nela, dei muitas risadas... acreditamos que o lugar guarda esse tipo de memória, então já sei que serei feliz ali. Mas e a arrumação?? Não tem outra maneira de dizer: o apartamento estava UMA ZONA! Muitas coisas pra limpar, guardar... explico. Saído de uma recente mudança, ele está com os resquícios da moradora anterior (que eu conheço e adoro!), moradora que nos deixou alguns móveis, e muitas outras coisas. Meu primeiro - e mais importante - compromisso firmado com ela foi o de guardar tudo o que ela deixou lá. Comecei com o momento mais tenso: o da faxina, MEGA FAXINA. A arrumação começou tensa! Passei como um furacão - como disse o Marcus - por um dos quartos e deixei ele limpo em menos de 30 minutos! Eu adoro arrumar as coisas e a ansiedade de ver tudo brilhando ajudou nessa questão! Devo dizer que passado um tempo, de muito suor e poeira, a primeira fase foi concluída com sucesso...
Eu volto para a próxima...

Beijos