sexta-feira, 15 de agosto de 2014

[Gordinha's Facts] Crise dos 30

To numa fase engraçada, de querer otimizar as coisas, de querer fazer dar certo. Desde uma receita nova e um aplicativo no celular até a minha relação com as pessoas. Sim, pessoas de um modo geral. To mudando e acabando por me convencer de que pode ser a crise dos 30.
Sim, estou quase nos trinta. E existe um papo torto de que as coisas ficam mais difíceis de resolver aos trinta - isso vai de problemas familiares, passando pelo ponteiro da balança e chegando ao cabelo que jamais será o mesmo. Bom, na falta de justificativa melhor, deve ser isso mesmo.

Eliminei pessoas na minha vida que eu percebi serem completamente nocivas, que não acrescentavam em nada, cujo grande objetivo na vida era fazer e ver o mal. Já foram tarde! Outras estão em fase de eliminação... deixei numa espécie de cantinho da recuperação e estou aguardando cenas dos próximos capítulos para decidir o futuro destas.

Resolvi investigar meus problemas de saúde, que passam pelas gripes misteriosas (que descobri ser uma mega crise alérgica, da qual já estou em tratamento) e cutucam a obesidade que me acomete, fazendo com que toda a análise do meu sangue seja a de um sedentário de 50 anos. E essa questão me incomoda, me fazendo pensar que tenho mais alguma coisa que não sei - além de sobrepeso - já que pratico exercícios regularmente e o ponteiro da balança e os ponteiros dos gráficos do exame de sangue não mudam de lugar.

Quanto ao sangue... estou indo a minha médica regularmente, que está me acompanhando de perto e me incentivando bastante a continuar com as consultas regulares. Quanto ao ponteiro da balança... não poderia estar mais feliz: voltei a treinar para correr. Longe do ideal, mas voltei. Ainda não consigo treinar por todos os dias da semana, mas fico bastante satisfeita ao treinar 3x. Não posso voltar com a corda toda, afinal, estou bem acima do peso e não posso correr o risco de estourar os meus joelhos por uma imprudência dessas. Estou indo devagar e o importante é que eu estou indo.
Voltei a participar dos eventos de corrida - que deram uma parada durante a copa do mundo - e devo dizer com orgulho que, sem treino adequado, apenas tentando retornar, já fiz uma prova de 5km em 41 minutos. Você pode até achar que o tempo foi uma piada, mas na verdade, foi uma vitória, afinal, eu fazia os mesmos 5km em 55 minutos. Com base nesse tempo, comecei a traçar metas de reduzir o tempo, mas pouco, de forma gradativa, pois sei que não é algo que vem da noite pro dia.

Coloquei em algum post aqui pelo blog que gosto de me dar um incentivo quando as coisas começam a dar certo (como voltar a treinar e me consultar com médicos) e resolvi me dar um tênis novo. Sou a louca dos sapatos, mas acredite ou não, só tenho um par de tênis. Quero outro para deixar na gaveta do trabalho, para usar exclusivamente na academia, que é ao lado do trabalho (literalmente).

E os 30 estão chegando... e eu penso que devo me alimentar como uma pessoa responsável de 30 anos, que pensa no futuro, que pensa num corpo mais saudável... e droga!!! Nisso eu estou falhando. Não sou disciplinada com dietas e isso estar gravado em cada célula do meu corpo faz com que eu acredite isso firmemente e jogue qualquer plano de dieta pelos ares. Mas isso tem de mudar!!! E esse é o meu maior desafio: finalmente seguir um roteiro correto de dietas.
Usamos muitas desculpas pra dizer que dietas não funcionam ou que só funcionam pra quem não faz nada o dia inteiro e tem tempo de ficar em casa fazendo comidinhas saudáveis e postando no instagram. Mas a verdade é que comer bem é fácil... vamos ser justos e lógicos: fazer um frango grelhado é bem mais simples do que fazer uma rabada com agrião... não disse mais saboroso, mas em facilidade, ganha em horas de economia na cozinha. Só pra constar: ODEIO frango grelhado e algumas de suas variações.
Mas levar essa vidinha saudável toda requer uma parcela maior de tempo quando o assunto é o hortifruti e uma parcela maior de grana quando o assunto é light ou diet. Sim, ser saudável é mais caro.
Mas eu tento, faço trocas que considero inteligentes, corto a maioria dos doces, refrigerante... fico o fim de semana adiantando comidas para a semana, mas sempre pensando na quantidade de sal ou óleo na comida... coloco chia nas coisas, coloco farelo de trigo no arroz... enfim, pra no final achar que tudo foi em vão, pois parece que nada muda.
Mas sabe que já pensei que a grande vilã de todas pode ser a palavra dieta? Mas aí inventaram reeducação alimentar, o que pra bom entendedor de língua portuguesa e de comida tem o mesmo significado que dieta, que controle de porções... e por aí vai.
O desafio é encontrar uma boa nutricionista... a gente tem de se amar... mesmo que seja uma relação de amor e ódio. Mas você vem e pergunta: mas você não tinha gostado da outra nutricionista??? E eu respondo que sim, mas ela tem um grave problema de horário e eu não tenho esse tempo a perder.
A busca vai bem... vou informando.

Agora é só ir levando as mudanças adiante...
Não pode ficar pior do que tá né... ou pode?!?!?


Nenhum comentário: